quarta-feira, 12 de junho de 2013

Quando a Novinha é mais experiente

Anita estagiava num escritório de advocacia, onde a chefe era uma coroa viúva, fiel ao falecido, mas que se acabava na siririca (Anita descobriu depois que ficaram íntimas, claro...), por falta de coragem de viver os prazeres da vida.
.
Para botar em dia uns processos atrasados, Dra. Laura e Anita trabalharam até de madrugada. Já passava da meia noite quando a chefe "lembrou" que estavam com fome. Enquanto comiam começaram a conversar amenidades e a doutora começou a falar do falecido com os olhos marejados e a voz trêmula... Anita meio sem jeito começou um blá-blá-blá "mas a senhora é tão bonita, bem cuidada, bem sucedida.. por que nunca se casou novamente?"... A coroa disse que foi educada para ser mulher de um homem só e que sua preocupação foi criar os filhos e agora que eles são independentes ela não tem mais idade para rever tradições...
.
"Imagina Dra. Laura, a senhora é linda!..." Que homem não se sentiria orgulhoso de ser escolhido pela senhora?...
.
E nesse papo Anita assumiu mesmo a função de consolar a chefe e sem querer (será?) ofereceu-lhe o ombro amigo, ao que a coroa aceitou e se aninhou no colinho da ninfeta, que sentiu uma energia excitante que a relação hierárquica não havia permitido perceber antes.
.
Ela se retesou um pouco, pois sempre separou trabalho e prazer, principalmente, numa relação tão assimétrica. Mas parece que não foi só ela que se arrepiou, não, viu?... Dra. Laura se afastou um pouco, se encararam "olho no olho" e, com essa proximidade, o beijo foi inevitável. E é bom que se diga que a iniciativa foi da doutora.
.
Anita quase teve um troço... Há tempos se descobriu bissexual, mas sempre viveu seus relacionamentos com as garotas do seu círculo de amizades. Uma situação daquela era totalmente inusitada: uma mulher mais velha, sua chefe e sem histórico nesse tipo de relacionamento. Ela estava totalmente surpresa.
.
Mas passado o susto inicial ela decidiu vivenciar o turbilhão de emoções que começava a sentir. Que mulher cheirosa, pele macia, boca suave. Foi um beijo intenso e demorado. Dra. Laura ora chupava deixando escapar estalinhos, ora comia literalmente a língua e os lábios de Anita, descia beijando o seu pescoço, pegava a boca de novo, apertava o corpo
contra o dela, encoxando-a contra a parede. Só quando Anita resolveu enfiar a mão embaixo da blusa para alcançar-lhe o seio parece que ela se deu conta do que estava acontecendo e afastou-se, assustada, como se tivesse se dado conta que fazia algo errado: "desculpe... me desculpe... eu...eu devo...estar louca..." - balbuciava com a voz entrecortada.
.
"Não... não diga isso... estava ótimo... você quer isso", respondeu Anita, com voz suave, trêmula de tesão, tentando se reaproximar. Dra. Laura continuava se afastando, balançando a cabeça negativamente, mas não conseguiu se autoconvencer de que não queria e como Anita continuou sorrindo e se aproximando, ela parou de resistir e se entregou.
Voltaram a se beijar, já explorando suavemente o corpo uma da outra. Intuitivamente se encaminharam para a sala de reuniões, tirando a roupa entre beijos e risinhos de cumplicidade.
.
A experiente advogada, tão altiva e temida nos tribunais, sucumbiu ante a juventude e o tesão que acabara de descobrir na estagiária, entrando estarrecida num mundo novo que começava a se descortinar a sua frente. Anita tomava as decisões. Fê-la deitar-se totalmente numa na mesa de reuniões. Estava tímida, mas Anita tranquilizou-a:" Não se preocupe, não faça nada, apenas sinta..." Beijaram-se intensamente. A novinha começou a descer a boca pelo corpo da doutora... Abriu-lhe suavemente as pernas, tocou-lhe o sexo molhado, levou o dedo à boca, saboreou e disse
safadamente: "gostosa". dra Laura riu trêmula... Anita começou a beijar-lhe as coxas, a virilha, a massagear o grelinho, os pequenos lábios, molhava os dedos e chupava, olhando bem nos olhos da sua presa que ansiava pelas emoções novas que tinha acabado de descobrir. De surpresa ela deu um chupão na buceta que pingava a sua frente. A doutora começou a gozar e ela intensificou as chupadas... chupava, lambia, metia os dedos, metia a língua, enauqanto doutora Laura
estrebuchava, gozando feito uma louca...
.
Depois daquela noite a relação das duas nunca mais foi a mesma. Hoje Anita é uma juíza bem sucedida, casada, e confidente da Dra Laura, que nunca mais deixou de explorar as novidades que o mundo bi tem para oferecer a uma mulher que tem como incentivadora alguem como a Dra Anita Rocha.
Bjocas de carnaval
Ana Balzac (Fantasy Island)
E-Mail: fantisland@gmail.com
.
PS: Quem quiser este conto com o vídeo, deixe o email junto

Nenhum comentário:

Postar um comentário